Tecnologia Assistiva: O que é isso?

Um relógio Braille exemplificando Tecnologia Assistiva

A Tecnologia Assistiva é um termo genérico usado para descrever todo e qualquer artefato, seja ele um utensílio, objeto ou software que possa ser usado por uma pessoa com algum tipo de deficiência para facilitar ou viabilizar a execução de uma ou mais de suas tarefas diárias.

Os recursos de Tecnologia Assistiva podem ser divididos em duas sub categorias principais que por sua vez podem se multiplicar em diversos ramos conforme a complexidade e a necessidade de seus usuários:

Os Recursos de baixa tecnologia, que contemplam vários tipos de horteses e próteses simples, bem como artefatos e utensílios que auxiliam na execução mecânica de atividades de vida autônoma, tais como comer, beber, tomar banho e qualquer outra tarefa do dia-a-dia da pessoa com deficiência.

Alguns bons exemplos de equipamentos com essas características são as bengalas utilizadas por pessoas cegas, talheres adaptados para pessoas com restrição de mobilidade nos membros superiores, cadeiras de rodas,, muletas, lupas óticas e alguns tipos de próteses.

Apesar de mais complexos, os relógios falantes ou táteis ainda podem ser considerados como recursos de baixa tecnologia em razão de sua simplicidade e tempo de disponibilidade no mercado, mas essa classificação pode variar conforme o centro de referência consultado.

Já os recursos de Alta tecnologia normalmente são associados a softwares informatizados, tais como Leitores e Ampliadores de tela, softwares de reconhecimento ótico de caracteres, equipamentos para vídeo-ampliação para pessoas com baixa visão, lupas eletrônicas, agendas eletrônicas, smartphones e outros dispositivos.

Por Leonardo Gleison Ferreira

Leonardo Gleison Ferreira é Técnico em tecnologia assistiva da Laramara, Graduado em análise e desenvolvimento de sistemas, pós graduando em marketing, atualmente ministra aulas de educação tecnológica para jovens com deficiência visual e faz parte do grupo de especialistas em acessibilidade do CEWEB/W3C.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *