Tem um palestrante extra na plateia!

Na maioria dos eventos relacionados às pessoas com deficiência que eu participo, seja como palestrante ou fazendo parte do público, sempre tem um palestrante oculto na plateia!

São microfone-maníacos, quando termina o hino nacional ele já está de pé, com a mão levantada e querendo fazer uma pergunta para o autor da letra!

AS vezes além de microfone-maníaco ele também é revolucionário, já sai lançando crítica: “Por que ouviram do Ipiranga? E se o cara não escuta? Acho que o governo Brasileiro deveria mudar a letra para tornar o hino nacional mais inclusivo”.

Mas o mestre de cerimônias fica com gastrite mesmo é quando chega a hora das perguntas e o famoso atrasa-fala levanta a mão. Esse cara é um verdadeiro palestrante. Cheio de ideias e críticas, ele consome os 5 minutos reservados para as perguntas do público sozinho, depois consome outros 20 da fala do palestrante seguinte.

Tem também a turma que gosta de promover o trabalho da instituição de que faz parte, e pega o microfone só para dizer: “Oi eu sou o Joãozinho, presidente da associação dos Joãozinho de Joanópolis do Sul. Eu gostaria de parabenizar o palestrante, o que ele falou é muito importante, lá em Joanópolis do Sul temos um trabalho muito parecido, patrocinado pela fábrica de camisas João em parceria com a prefeitura municipal de Joanópolis do Sul”.

Tem perguntas muito boas em eventos relacionados às pessoas com deficiência e com certeza absoluta, toda a plateia adora quando alguém faz aquela pergunta que está na ponta da língua de todos, mas pessoas como as descritas a cima tem que tomar um pouco de educação líquida para não atrapalhar os outros. Todo evento tem uma programação, segue horários e nunca se sabe se aquele discurso interminável vai fazer com que o palestrante perca um voo, o que vai causar uma serie de transtornos para ele, além de ser muito desagradável ver alguém palestrando na hora da fala dele.

Para um palestrante é ótimo ouvir perguntas da plateia, quem não gosta de tirar dúvidas, mas se não for uma pergunta ou uma contribuição sobre o assunto debatido e a fala só servir para tomar o tempo do evento, a participação dessa pessoa será improdutiva e sem sentido.

Autor: Leonardo Gleison Ferreira

Leonardo Gleison Ferreira é Técnico em tecnologia assistiva da Laramara, Graduado em análise e desenvolvimento de sistemas, pós graduando em marketing, atualmente ministra aulas de educação tecnológica para jovens com deficiência visual e faz parte do grupo de especialistas em acessibilidade do CEWEB/W3C.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *